EPETÁCULO DE ESTRÉIA:
O PALCO ILUMINADO

Ah! O Palco Iluminado! Tudo começou quando o Raul Starling, meu amigo e colega de teatro há quase trinta anos, me telefonou e sugeriu que eu escrevesse uma peça para dois atores. Queria um texto que falasse da nossa própria atividade: o Teatro. Quase sempre escrevo com a mente voltada para a comédia, e nesse caso não poderia ser diferente. Ao rascunhar algumas ideias, logo surgiu o esboço do que seria o mote da história: um diretor e um ator, os dois acima dos setenta, reencontram-se num palco vazio, após cinco anos afastados. E logo fica evidente que o distanciamento de ambos, foi causado por um incidente sério no passado. Aproveito o conflito e exponho as mazelas sofridas por todos aqueles que chegaram à terceira-idade. O idoso sofre com as limitações físicas e tem consciência de que a sua passagem pela vida está chegando ao fim. Como diz um dos personagens, “Velhice não é fácil”. Escrevi O Palco Iluminado com a razão, mas também com o coração. Dedico o meu texto a todos os meus contemporâneos, homens e mulheres, que chegaram à terceira-idade com otimismo e que não se abalaram com esse momento peculiar da vida. Afinal, como diz o poeta: viver é preciso. E algumas palavras nos consolam: só não envelhece quem morre antes. Agradeço à Feluma, por ter viabilizado esse projeto e ao Jair Raso, nosso diretor e produtor, pelo empenho, pela direção irretocável e pelas sugestões de textos complementares, que valorizaram a estrutura final da história. Finalizo com uma esperança: que os palcos do Brasil continuem sempre iluminados.
Rogério Falabella

(TEXTO/PROGRAMA - VALE ESSE. SE ESTIVER GRANDE, PODE CORTAR).
O PALCO ILUMINADO

O Palco Iluminado têm o encanto das coisas simples: um bom texto, dois atores experientes, poucos elementos cênicos, sem parafernália técnica. Aí reside o desafio: fazer o simples não é nada fácil. O convite para dirigir Raul Starling e Rogério Falabella coincidiu com outro: exercer a curadoria do Teatro FELUMA. Confesso que hesitei diante da dupla surpresa: teria capacidade para tamanha empresa? Não creio que a vida tenha um Diretor, mas abracei os dois compromissos inspirado nas palavras de Goethe: “No momento em que a pessoa se compromete definitivamente, então a Providência também se mexe. A coragem convoca o gênio, o poder e a mágica”.
Dedico este trabalho à memória de Felício Alves

Sinopse

Um neurocirurgião-ator decide aposentar o médico para tornar-se só ator; e convence um dramaturgo-diretor para escrever sobre Teatro e atuar nesse espetáculo. Os dois elegem o médico-dramaturgo-diretor e agora curador do Teatro FELUMA para dirigir. Foi assim a origem do espetáculo Palco Iluminado. Claro que com tantos “opiniúdos” houve “arranca-rabos”. Mas é metateatro! O que contamos aqui é tudo verdade. Isto é... quase tudo!
Raul Starling

Cenografia e assistência de direção

O Teatro é o espaço de encontro com o humano. Sua essência é simples: texto, corpo, espaço, luz. O Palco Iluminado trata deste encontro. Do amor à arte, da exposição plena e do conflito humano. Amor, ilusão, comédia e tragédia da vida cotidiana. O cenário marca esta estrutura exposta, por meio do elemento linha, quase em sua forma bruta. Ferro, madeira, lã e couro se encontram para sustentar de forma sutil o texto. A raiz deste espetáculo está cravada na brasilidade. Do texto de Rogério Falabella, ao design escultural de Zanini de Zanine. Rogério é um cavalheiro. Autor e ator, que circula por entre os espaços desta relação com plena desenvoltura. Raul constrói no corpo seu personagem com precisão cirúrgica. Jair ilumina as emoções e traça com maestria uma direção que nos faz tomar assento nesta conversa. E eu? Eu aprendi muito! “O Palco Iluminado” foi uma bela aula de Teatro.
Andréa Raso

Elenco

Rogério Falabella

(Caetano Bezerra)

Raul Starling

(Romero Ventura)

Jair Raso

Direção

CONTATO

ENDEREÇO

Alameda Ezequiel Dias, 275 - 7º andar
Centro - Belo Horizonte - MG

Telefone

+55 31 3248 7250

E-mail

cmk@feluma.org.br

Fundação Educacional Lucas Machado. Todos os direitos reservados. @2019